Suderj informa: Sai Foo Fighters, entra Dee Gees

 

Eu tenho grandes, imensas reservas ao Foo Fighters. Acho que é uma banda ok, não mais que isso. Há mais discos banais que realmente interessantes e Dave Grohl, por mais legal que seja, tem uma vocação para estar em toda parte, o que, em qualquer caso, me irrita. Mas minha opinião sobre os Foos começou a mudar com o último álbum, “Medicine At Midnight”, lançado há alguns meses. Nele, Grohl e sua turma abrem sua palheta de tinturas manjadas de rock alternativo americano requentado e incorporam alguma malandragem oitentista dançante. Entra um tico de INXS aqui, um pouco de Duran Duran ali, talvez até mesmo um David Bowie fase “Let’s Dance” acolá. Resultado, é o meu segundo disco favorito da carreira da banda, atrás de “The Colour And The Shape”, do longínquo ano de 1997. Mas os sujeitos agora estão programando o lançamento de um EP, “Hail Satin”, no qual trarão remixes de faixas do último álbum e … cinco covers de … Bee Gees.

 

A primeira já está no ar, é o colosso “You Should Be Dancing”, de 1976, que anunciou a todos que a Disco Music estava no ar. E a banda, quando se arvora a tocar essa – e outras duas covers dos anglo-australianos que virão no EP – não se chama Foo Fighters, mas … DEE GEES. Seria sensacional pela trocadilhagem com BEE GEES, mas é ainda mais legais porque são as iniciais de David Grohl, assim como eram dos Brothers Gibb, os próprios Bees. Então, se tem trocadilho, eu já gosto. E anteontem tivemos o clipe de “You Should Be Dancing” divulgado, simples, direto, com os músicos tocando a canção, secundados por um trio de vocalistas de apoio. Funcionou.

 

Tudo bem que minha primeira reação foi de estranhamento e má vontade, pensando se aquilo era realmente necessário, mas me vi sendo egoísta. Ouvi, reouvi, vi o clipe algumas vezes e entendi o espírito. O EP será lançado no Record Store Day, no dia 17 de julho próximo, ou seja, é uma iniciativa bacana para alavancar o comércio de mídia física, o que é sempre bacana. As regravações vão apresentar os Bee Gees para um monte de moleques roquistas que necessitam de calibragem musical em suas vidas e ainda deve ter proporcionado diversão e sacanagem em altas doses para os Foos. E mais: vivemos num tempo em que o mercado, a sociedade, a grana, a indústria, a portabilidade e tudo mais fez com que os gêneros musicais populares e consumidos pelos jovens covergissem para um mesmo bacião de artistas. Sendo assim, o movimento dos Foos, de alargar seu espectro sonoro, já feito com o álbum anterior, é confirmado com o EP. E é legal.

 

A versão ficou bem tocada, com um sotaque contemporâneo e mais pesada que o original, claro. E os vocais agudos foram mantidos até certo ponto. Lembro que me pareceu forçado a princípio, mas logo minha implicância foi derretida pela sinceridade/diversão da empreitada.

 

Mas, como eu disse, esse é um mundo sem mocinhos. Ao lado do lançamento dos Dee Gees, vem uma estratégia mercadológica poderosa. O site do Foo Fighters já tem uma seção de produtos com a nova marca, incluindo óculos escuros, camisas, moletons, bonés, espelhos (!) e cinzeiros (!!).

 

Para quem ficou curioso sobre as covers que o EP trará, aqui estão elas:

 

– You Should Be Dancing
– Night Fever
– Tragedy
– Shadow Dancing
– More Than A Woman

 

Em tempo: no meio dos anos 1990, o Faith No More, famoso por suas covers sacanas, verteu “I Started A Joke” dos Bee Gees e, mais recentemente, o The Avalanches, combo dançante predileto de Célula Pop, pegou vários trechos de “Warm Ride” e sampleou em seu álbum “Wildflower”. Pra quem ainda não sacou, os Bee Gees são magos do pop atemporal. Seja na fase dançante, seja na fase mais tristonha, os seus discos são convites ao deleite.

 

0

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

One thought on “Suderj informa: Sai Foo Fighters, entra Dee Gees

  • 13 de julho de 2021 em 14:25
    Permalink

    Não desce de jeito nenhum, muito menos o tão badalado novo álbum do ex-fofinho Ed Sheeran, grande abraço

    0
    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *