Saiu “Is It Any Wonder?”, novo EP de David Bowie

 

 

 

O legado de David Bowie não para de crescer. Felizmente. Aos poucos veremos lançamentos de singles obscuros, EPs com faixas alternativas e um monte de raridades. A Parlophone Records está lançando “Is It Any Wonder”. um EP com seis faixas interessantes, datadas dos anos 1990. Entre inéditas e regravações, dois clássicos da carreira de David surgem em novas roupagens.

Vejamos as faixas, uma a uma.

 

 

BABY UNIVERSAL ’97 – com letra de Bowie e música co-escrita por Bowie e Reeves Gabrels, ‘Baby Universal’ foi inicialmente gravada pela banda Tin Machine para o álbum Tin Machine II, e tocada regularmente na turnê de 1996 do David Bowie, ‘Outside Summer Festivals Tour’. A versão lançada como ‘BABY UNIVERSAL’ 97 ‘foi originalmente regravada para o álbum Earthling, porém removida da master final do álbum. Bowie gostava muito dessa versão, e antes da música ter sido descartada ele disse: “Eu acho a ‘Baby Universal’ uma música muito boa que ainda não havia sido ouvida. Eu realmente não quero que isso aconteça, então coloquei neste álbum … acho esta versão muito boa”.

 

FUN (CLOWBOY MIX) – foi produzida por David Bowie, Reeves Gabrels e Mark Plati, gravada por Steve Guest e Mark Plati e mixada por Danny Saber no Ocean Way Recording, em maio de 1998. O mix foi criado por John X. A faixa apresenta David Bowie nos vocais, Zachary Alford na bateria, Gail Ann Dorsey no baixo / vocais, Mike Garson no piano, Reeves Gabrels nas guitarras / vocais e Mark Plati nos teclados / programação. Essa versão surgiu como uma reformulação moderna do clássico de Bowie ‘Fame’, apresentada sob o nome ‘Is It Any Wonder?’ durante o ‘club set’ de Bowie na turnê Earthling.

 

STAY ’97 – apareceu originalmente no álbum ‘Station To Station’ em 1976 e foi lançada como single nos EUA em agosto daquele mesmo ano. A regravação, inédita em 1997, começou no The Factory nas Docklands de Dublin durante os ensaios da turnê pré-Earthling, enquanto Bowie, Mark Plati e Reeves Gabrels estavam preparando as faixas de apoio / sequenciadoras antes da chegada do resto da banda e início dos ensaios. Bowie queria ‘atualizar’ algumas de suas músicas base de shows ao vivo para que elas se harmonizassem com o material do Outside / Earthling. A gravação foi concluída mais tarde, para ser usada como um ‘lado B’, e mixada nos estúdios Right Track Recording, em Nova York, em maio / junho de 1997.

 

 

I CAN’T READ ’97 – apareceu originalmente no álbum de estreia homônimo da Tin Machine em 1989 e foi uma música base do set ao vivo da banda. No outono de 1996, durante as etapas de mixagem do Earthling, Bowie regravou a faixa – que, em um certo estágio, apareceu em uma versão masterizada do álbum. Uma segunda versão, com acordes menores e um som mais sombrio para o refrão, foi gravada para o filme de Ang Lee, The Ice Storm. A versão completa apareceu em um single em 1998, enquanto uma edição foi apresentada no álbum da trilha sonora do filme em 1997, ambos lançados pela VelVel Records. Enquanto a terceira versão da música, ‘I CAN’T READ 97 ‘, era a versão solo preferida de Bowie, ela foi cortada de Earthling no último minuto e substituída por ‘The Last Thing You Should Do ‘.

 

 

NUTS – a inédita semi-instrumental ‘NUTS’ foi uma composição conjunta entre David Bowie, Reeves Gabrels e Mark Plati. Foi gravada durante as sessões finais do Earthling em novembro de 1996, a mesma sessão durante a qual ‘The Last Thing You Should Do’ foi escrita e gravada. Ambas as músicas estavam sendo gravadas como faixas bônus, mas então, no último minuto, Bowie trocou ‘I Can’t Read’ por ‘The Last Thing You Should Do’. ‘NUTS’ permaneceu inédita até agora.

 

‘THE MAN WHO SOLD THE WORLD’ (LIVE ENO MIX) foi produzida por David Bowie e mixada por Brian Eno. A faixa conta com os vocais de Eno, Gail Ann Dorsey no baixo e nos vocais, Peter Schwartz nos sintetizadores, Zachary Alford na bateria, Carlos Alomar na guitarra e Reeves Gabrels na guitarra e nos vocais. Disponível pela primeira vez desde seu lançamento em 1995, ‘THE MAN WHO SOLD THE WORLD’ (LIVE ENO MIX) foi lançada anteriormente como um single duplo de vinil verde de 7” e em CD em vários territórios com a versão Outside de ‘ Strangers When We Meet”. Essa nova versão do clássico de Bowie é baseada no retrabalho bastante radical de trip-hop apresentado na Outside World Tour. O colaborador de longa data do Bowie, Brian Eno, reformulou, fez o overdub e mixou essa gravação ao vivo da música no Westside Studios, em Londres, em 30 de outubro de 1995.

 

Só esta versão trip-hop de “The Man Who Sold The World” e recauchutada em “Stay” já valem tudo.

 

0

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *