Norah Jones – Begin Again

Gênero: Pop Alternativo
Duração: 29 min.
Faixas: 7
Produção: Norah Jones
Gravadora: Blue Note

Já fazia três anos que Norah Jones não surgia com um álbum. Ela passou esse tempo excursionando por aí e lançando alguns singles digitais meio esquisitos. Não é de se espantar que ela venha agora, com este curto e ótimo “Begin Again”, um “disco-EP”, no qual se entrega a uma experimentação bem pensada, trazendo, justamente, boa parte deste singles estranhos de 2018. Norah sabe que suas canções de jazz/country do início da carreira não são suficientes para manter e aumentar seu público. Também sabe que suas incursões esquisitas no terreno do indie rock – gravando com Dave Grohl, Jeff Tweedy, M. Ward, entre outros – também são frágeis. Sendo assim, este disco mostra a artista buscando novas orientações em sua carreira.

As sete canções de “Begin Again” são isso, rascunhos, ideias, caminhos, alternativas, que Norah está considerando seguir. A produção é esparsa e privilegia essa sensação de indefinição, que perpassa para os arranjos, com cara de inacabados e esboçados. É intencional e sincero, ao mesmo tempo. Norah nunca teve pudores em assumir suas características como cantora, compositora e pianista, seja no palco, seja no disco, sempre procurando oferecer ao público o que passava de mais sincero em sua mente. E ela se entregou a mudanças e nuances diversas desde que surgiu em 2003, com “Come Away With Me”, seu primeiro disco, totalmente jazzístico e romântico. Norah, apesar de jovem, poderia cair na armadilha de ser uma “artista que parece mais velha”, especialmente se pendesse para a área do jazz naquele tempo. Ao contrário, a moça permaneceu esperando o carro passar para atravessar a rua e, enquanto esperava, não teve problemas em mudar seu rumo.

As canções de “Begin Again” têm eletrônica, pianos esparsos, estruturas que não se encaixam em gêneros e estilos, estando mais para a área alternativa latu sensu. É música feita sem qualquer intenção de tocar na rádio, por exemplo. A faixa de abertura, “My Heart Is Full”, é oblíqua, torta, esquisita – e demais adjetivos similares – mas oferece ao ouvinte uma travessia segura por este terreno indefinido que Norah escolheu percorrer e que será diferente logo à frente. O arranjo não faria feio numa canção de um Peter Gabriel da vida, por exemplo. A faixa-título é mais linear e formatada, mas apresenta uma levada dinâmica de baixo, piano e bateria que Norah ainda não havia experimentado nestes anos de estrada. “It Was You” é quase um esqueleto, com pianos, metais e baixo, que soam sujos e fora de ordem, mas unidos pelo propósito. É quase uma canção sensual de Norah, algo que também é pouco comum em seu cânon.

Em termos de arranjo, “A Song With No Name” é um ponto alto. Guitarra onipresente, que conduz a melodia, num ritmo quase gospel e introspectivo, lembrando algo produzido por Daniel Lanois no início dos anos 2000. “Uh Oh” é eletrônica e intrigante, com samples e sintetizadores que mudam timbres e confundem os sentidos, justo co contrário do que acontece com a faixa mais previsível por aqui, “Wintertime”. Norah recupera o espírito do disco com a canção que encerra os trabalhos, “Just A Little Bit”, outra lindeza indefinida e experimental, cheia de batidas caóticas e baixo gorducho.

Se este disco mostra Norah escolhendo direções e testando novidades, as perspectivas são sensacionais a respeito de seu futuro próximo. Qualquer lado que ela caminho que ela escolha, a partir das portas de “Begin Again”, a levará – e a nós – a um destino de criatividade e renovação. Belezura.

Ouça primeiro: “A Song With No Name”

1+

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *