O dinheiro na cueca é nosso

 

 

Desde ontem de manhã, as redes sociais não falam noutra coisa: o inacreditável caso do senador chico rodrigues, do dem de Roraima, vice-líder do governo no Senado Federal, pego numa operação da Polícia Federal com cerca de 30 mil reais na parte de trás de sua cueca. Ou, como diríamos: no cu.

 

E tome trocadilhos bem mandados e outros nem tanto sobre a situação. Claro, é um evento tragicômico, uma vez que rodrigues tem 69 anos, é – ou deveria ser – um senhor, alguém que, nesta altura da vida, não deveria ser pego numa situação dessas. Aliás, ninguém, em nenhum tempo de sua vida deveria ser pego numa situação dessas. E a notícia ocorre pouco tempo depois do ocupante da presidência dizer que não há mais corrupção no Brasil. Mas há outros temperos para este inacreditável fato não ser nada engraçado. Vejamos.

 

O dinheiro na cueca de rodrigues foi apreendido numa operação da PF para apurar desvio de verbas no combate à covid-19 em Roraima, um dos estados menos favorecidos da União, ou seja, é nosso. Trabalhamos por ele, para que fosse usado de maneira decente, não para ser manchado com fezes de um corrupto – fato explicado pelo jornal inglês The Guardian, que repercutiu a notícia à tarde, mencionando que várias notas estavam “sujas”. Sim, é algo inacreditável e extremamente vergonhoso.

 

rodrigues é um dos senadores que teve mais emendas aprovadas pelo governo federal, cerca de 15.6 milhões de reais, somente em 2020. Isso quer dizer que seu mandato está a favor dos interesses políticos, sempre manifestados como moeda de troca, quase nunca materializado em melhorias para os eleitores. E, neste caso, uma vez afastado ainda ontem do posto, rodrigues foi substituído por seu filho, pedro arthur rodrigues, também do dem. É como uma linha de sucessão monárquica. Como se não bastasse, o senador emprega em seu escritório um sujeito chamado leo indio, que teria sido enviado para Brasília para ficar longe dos filhos do ocupante da presidência, investigados por corrupção. A imprensa se referiu a ele como … ex-sobrinho de bolsonaro. EX-SOBRINHO.

 

É engraçado dizer que rodrigues “aplicava o dinheiro na poupança” ou que ontem foi um dia triste para quem conta dinheiro passando o dedo na língua. O fato é que o dinheiro na cueca de rodrigues é nosso.

 

Enquanto isso…

 

– A segunda onda de covid-19 vem aí.

– Candidata a vereador num município de Santa Catarina posa em foto com uma imagem de Nossa Senhora Aparecida numa mão e uma pistola na outra.

– O país segue governado por uma quadrilha de milicianos.

– A imprensa segue conivente com esta sucessão de absurdos, corresponsável que é pela eleição dessa gente em 2018

– Pessoas dão parabéns aos professores pelo Dia do Mestre e torcem para que mais e mais candidatos conservadores achatem a categoria.

 

De fato, há bem pouco para rir.

1+

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *