Biscoito Fino lança DVD ao vivo de Arthur Maia

Gravado em 2015 no Teatro do Centro de Artes UFF (Niterói), o DVD que a Biscoito Fino lança agora nos formatos álbum digital e DVD físico, é o único registro ao vivo de um show do baixista, compositor e produtor Arthur Maia. Trata-se de um apanhado de canções que Arthur reuniu especialmente para esse encontro com parceiros e amigos, assinando ainda os arranjos e a concepção musical.

 

O repertório vai de Lennon e McCartney a Ernesto Nazareth, passando por Djavan, Ivan Lins e parcerias do baixista com Fernando Caneca (“Frevo do Compadre”) e Júlio Martins (“Muchacha”). “Arthur e o Gigante”, composta para Arthur por Willian Magalhaes, da Banda Black in Rio, também está no repertório.

 

O show conta com convidados especiais, como Ivan Lins na canção “A Noite”(Ivan Lins e Vitor Martins) e Seu Jorge em “Alívio”(Djavan e Arthur Maia). O músico cearense Pipoquinha surge no tema “To Nico”, composto pelo também baixista Nico Assunção.

 

Dirigido por Arthur Maia e Vinicius Sá, o DVD é fruto da associação de seis produtores artísticos e um executivo, que se uniram para realizar o projeto. Arthur participou de todo processo , mas acabou não vendo o DVD ficar pronto: ele nos deixou em dezembro de 2018, aos 56 anos.

 

Sobrinho do baixista Luizão Maia, com quem aprendeu as primeiras técnicas no baixo, Arthur expandiu os horizontes do seu instrumento e era capaz de tocar qualquer gênero e estilo: jazz, funk, samba, reggae e o que mais viesse, sempre com o suingue que seria a sua marca registrada.

 

Arthur tocou com artistas como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Ivan Lins, Lulu Santos, Jorge Ben Jor, Gal Costa, Djavan, George Benson, Seu Jorge, Toninho Horta, Dominguinhos, Mart’nália e muitos outros grandes nomes da música brasileira e internacional. Participou de bandas como a Pulsar, Banda Black Rio, Egotrip, o grupo instrumental Cama de Gato. Arthur Maia tocou em vários festivais internacionais, como o New York Jazz Festival, Festival de Jazz de Paris, Montreux Jazz Festival e o Lugano Jazz.

 

0

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *