Nova Inquisição no Dia da Proclamação da República

 

Pode parecer um título metafórico para um momento da nossa realidade. Mas não é, ainda que a empreitada tenha muito de crítica e expressão de pontos de vista sobre os nossos tempos atuais. Dary (ex-Terminal Guadalupe e atual Dario Julio & Os Franciscanos) e Paulo de Nadal (Mordida, ex-Repolho) inauguram uma parceria que pode dar muitos frutos. E “Nova Inquisição” é, justamente, a primeira canção que eles lançam.

 

Dary e Paulo são dois batalhadores do alternativo brasileiro do sul do país. O destino os levou a dividir a mesma Curitiba da virada do milênio e lá eles se afirmaram como importantes referências da música independente paranaense. Agora, mais de uma década depois, ambos continuam ativos e produtivos, mas sentem a necessidade de bradar contra o que temos vivido, um incômodo que se instalou no cotidiano, nas mínimas coisas.

 

“É quase um momento de negação da razão, da sabedoria, como valores importantes e necessários. É como se o Dario Julio bebesse da fonte do Terminal Guadalupe”, diz Dary.

 

“A ideia central da música ‘Nova Inquisição’ surgiu da impressão de que a partir de algum momento de nossa história recente temos visto o que se pode chamar de ‘morte da razão’. E dessa impressão, uma sensação de impotência frente ao status quo atual, que parece não resistir a sedução do discurso radical, planificado e preconceituoso”, arremata Paulo.

 

Além da parceria – em andamento – os dois tocam seus projetos principais, com grandes chances de subirem juntos ao palco, mas nada ainda muito definido, apesar de já haver uma nova canção finalizada. Paulo prepara um álbum solo. Dary compõe um novo disco para 2020, novamente como Dario Julio & Os Franciscanos.

 

Nova Inquisição

Desconfie se a vida estiver muito barata no mercado
Quando apontarem o fuzil pra manter você calado
Defender tanta maldade, Já não sei o que é
Só ingenuidade ou então pura má fé…

Eu Tô coberto de razão, como sol de verão
Tô coberto de razão no fogo da nova inquisição

O passado desfila na avenida principal
Enquanto o futuro acena, manda um beijo e tchau!
O passado desfila na avenida principal
Enquanto o futuro acena, manda um beijo, tchau! Tchau tchau,
Tchau, tchau Tchau!

Coberto de razão, na jaula do leão
Coberto de razão no fogo da nova inquisição

Mas Desconfie se a vida estiver muito barata no mercado
Quando apontarem o fuzil pra manter você calado
Defender tanta maldade, Já não sei o que é
Fanatismo, insanidade, rabo preso ou má fé…

Coberto de razão, feito poeira e sertão
Coberto de razão no fogo da nova inquisição
Coberto de razão, (aé?) na jaula do leão
Coberto de razão no fogo da nova inquisição
Eeee Nova inquisição!

 

 

 

3+

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *