Série desvenda a Transamazônica

 

 

 

 

A Amazônia coleciona problemas enormes como queimadas, violência, desmatamento, garimpo, roubo de terras… Tudo isso está ligado à construção de uma estrada e a um projeto equivocado de ocupação da região.

 

A Transamazônica foi idealizada e teve suas obras iniciadas durante o governo do presidente emílio garrastazu médici, no fim dos anos 60. Com o objetivo de unificar a nação, sua construção foi uma saga gigantesca e o maior exemplo das obras faraônicas do governo militar brasileiro. A estrada, que promoveria a integração nacional cortando o País de leste a oeste, ficou mais conhecida por ligar a fome do Nordeste com a miséria da Amazônia, e teve sua construção abandonada.

 

A série exclusiva da HBO TRANSAMAZÔNICA – UMA ESTRADA PARA O PASSADO, uma coprodução com a Ocean Films, analisa como tudo começou e suas consequências até os dias de hoje.

 

Resultado de uma coprodução com a Ocean Films, a série narra, em seis episódios, a história da construção da rodovia e mostra o atual estado de conservação do projeto, que marcou a paisagem e a memória do Brasil.

A produção é assinada por Roberto Rios, Eduardo Zaca, Patricia Carvalho e Rafaella Giannini, da HBO Latin America Originals, e João Roni Garcia e Nuno Godolphim, da Ocean Films. Com direção de Jorge Bodanzky e Fabiano Maciel, que também assina o roteiro ao lado de Thiago Iacocca e Nuno Godolphim, a série documental conta com recursos da Condecine – Artigo 39.

 

Estreia: HBOMundi em 11 de fevereiro, às 21h.

 

 

+1

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *