Facção Caipira lança EP “Ao vivo na UFF”

 

 

 

“O show tem uma carga emotiva forte. Falamos da nossa união para superar as dificuldades e sobre o tempo em que moramos juntos por 3 anos, criando as canções e pré-produzindo o disco nessa casa-estúdio em Piratininga, Niterói. Coincidentemente, o mesmo lugar que Milton Nascimento e parceiros estiveram para gravar o álbum Clube da Esquina nos anos 70” – associa Jan, vocalista e guitarrista da banda.


“Ciúme”
é a primeira das três faixas que compõem o EP “Ao Vivo no Teatro da UFF”, primeiro registro ao vivo da Facção Caipira em novo formato (Power trio + teclado), disponível em áudio em todos os streamings e também em vídeo no YouTube.

 

A faixa tem riffs bem sententistas, bateria marcante à la Them Crooked Vultures e momentos influenciados pelo blues-rock de Black Keys e Gary Clark Jr,  que  trazem a pressão necessária para um show de rock coeso e impactante. Sem soar datada, a Facção adiciona influências brasileiras que vão de Criolo a O Terno. Em noite de teatro lotado, a banda mostra ao público as músicas que foram resultado da campanha de crowdfunding que viabilizou o disco.

“Carne Viva ganhou essa versão ao vivo que evidencia o tom brega tango-rock mais rasgado. A gente sentiu que o público se identifica muito com ela no show, é uma balada dramática e sem muitos rodeios, letra e melodia muito certeira. O piano também dá um charme pra isso acontecer” aponta o vocalista.

 

Com auxílio da luz dos celulares do público em uma noite de teatro lotado, “Passagem” finaliza o disco. A canção fala sobre os meandros de ser um compositor. A canção surgiu no intervalo de um dos ensaios da banda, na época em que todos os membros moravam juntos na casa-estúdio de Niterói. O arremate para a composição veio à luz de uma lembrança de um festival em Cuiabá, em uma noite que a banda abriu para os Boogarins. Por isso, essa alusão harmônica entre a música e a banda goiana.

A participação especial é de Vitor Milagres (Rosabege), que cantou e fez uma performance artística no palco da UFF.  A mixagem e masterização de EP são assinadas por Renan Carriço.

 

Em 2019, antes do EP,foi lançado o”Do Lugar Onde Estou Já Fui Embora”, mais recente disco de estúdio  da banda, é uma produção de Felipe Rodarte e da própria banda no Estúdio Toca do Bandido. O álbum mistura brega-tango, stoner rock, blues e música popular brasileira.

 

“A energia desse show foi ótima. Nosso primeiro show de lançamento do “Do Lugar Onde Estou Já Fui Embora” (disco de estúdio lançado em 2019 pelo Selo Toca Discos), tocando com teatro lotado, um momento de mostrar no palco as músicas que foram resultado de uma campanha de crowndfunding que a gente se conectou muito com o público.

De cara, se ouve muita distorção, guitarra alta e patada na bateria. Apresentamos também o Gabriel Serrano, entrando com teclas e sanfona pra uma banda que tinha um gaitista na turnê anterior.

Ao mesmo tempo,  o show tem um lado emotivo forte. A gente tá ali pra se conectar, contar desse tempo em que moramos juntos por 3 anos, criando as canções e pré-produzindo o disco nessa casa-estúdio em Piratininga, Niterói.

Tem momentos de brega-tango, mpb, marcha rancho, stoner rock. Uma viagem que a gente tava doido pra compartilhar com o público” – completa Vinicius, baixista do grupo.

 

Cá entre nós, um EP gravado no sensacional Teatro de Artes da UFF já merece nosso amor. Se o referido EP é de uma das grandes bandas de rock em atividade no país atualmente, a atenção é redobrada.

 

Ficha Técnica Filmagem, direção e fotografia – Útero Produções Part. Especial – Vitor Milagres Engenheiro de Áudio – Ricardo Nogueira Luz – Ricardo Lyra Jr. Assistentes de Engenharia de Áudio – Teatro UFF Mixagem – Renan Carriço Masterização – Renan Carriço Realização & Produção Executiva – Ruan Forecchi (Graúna Produções) Selo – Toca Discos

Foto;Arte de Capa – Rodrigo de Freitas Distribuição- Altafonte Realização;Produção: Ruan Forecchi (Gráuna Produções)

 

Facção Caipira: Jan (Guitarra/Voz) Renan Carriço (Bateria) Vinícius Câmara (Baixo) Gabriel Serrano (Órgão)

 

Ouça-Assista o EP ao vivo no teatro da UFF : https://youtu.be/7iQovyJD1HY

 

 

1+

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *