Tegan And Sara – Hello, I’m Just Like You

Gênero: Pop
Duração: 38 minutos
Faixas: 12
Produção: Alex Hope
Gravadora: Sire

4.5 out of 5 stars (4,5 / 5)

 

O Pop atual não é pra você? Acha complicado gostar dos artistas que surgem fazendo aquela mistura de eletrônica de aluguel com doses homeopáticas de hip-hop de proveta? Detesta aquelas divas que pensam que são maiores do que o que cantam? Tem problemas em achar valor em gente que surgiu ontem e já parece posar de dona do mundo? Pois bem, Tegan And Sara são as artistas que você estava esperando. Não que elas sejam novidade, já estão na ativa deste o início dos anos 2010 e construíram uma carreira consistente, baseada apenas na confecção de belas e duráveis melodias pop. Com elas é tudo calcado nos refrãos, nas linhas melódicas, nas letras, tudo funciona e fica no ar um cheirinho doce de anos 1980, de Stiletto, Azzaro ou outra lembrança olfativa que você queira evocar. É tudo legal e as meninas estão bem longe da nostalgia. “Hello I’m Just Like You” é mais um capítulo nesta trajetória tão legal.

 

As moças são canadenses e começaram gravando no selo Vapor Records, de propriedade de um tal Neil Young. Já se vão quase dez anos disso e hoje, mais maduras e cientes de sua arte, podemos dizer que elas têm um som próprio e de extremo bom gosto. Em outros tempos, suas canções tocariam nas rádios, teriam boas posições em paradas de sucesso e iriam parar em trilhas sonoras internacionais de novelas globais, tudo isso sem perder um centímetro da integridade e do bom gosto. Este novo disco é composto por canções antigas, que ambas reencontraram e nas quais decidiram trabalhar e viabilizar. As letras retratam os perrengues da adolescência e a dificuldade em encontrar seu espaço no meio dos iguais e não tão iguais assim. Crescer é aceitar e lidar com diferenças, tudo num modo recíproco e quase sempre cruel. Por isso faz tanto sentido ver títulos como “I Know I’m Not The Only One” ou “You Go Away And I Don’t Mind”.

 

A diferença da dupla pros outros artistas em vigor é que as moças parecem ter um certo senso de integridade para com sua obra e seu público. E o passar do tempo lhes dá a robustez que precisam. A presença do produtor Alex Hope funciona para conferir as molduras leve e intencionalmente datadas, que conferem este ar de “volta ao passado” da dupla. No meio dessa jornada, vão deixando as pegadas no caminho e se saem muito bem. “Hold I’m Breath Until I Die”, por exemplo, a faixa que abre o disco, é uma baita canção pop, com versos clássicos como “if I fall, will you catch me in your arms?” e uma melodia dourada, que serve como um farol para quem ouve e causa identificação imediata, justo naquele tempo em que a gente não consegue evitar a própria vulnerabilidade e meio que depende do outro, algo que, quase sempre falha. Canções pop são pra isso, captar esses sentimentos em questão de três minutos e meio. Neste caso específico, 3:42 minutos.

 

A faixa-título é outra baita canção, com um instrumental belo de baixo/bateria/teclado e efeitos especiais, que conduzem a melodia doce a caminho de refrão caloroso e a sensação de que tudo se encaixa. “I’ll Be Back Someday” surge como um exercício punk pop de teores docemente lights, com outra melodia dourada. Tem balada dedilhada – “Please Help Me” – e canções com letras enraivecidas, como a ótima “Keep Them Close ‘Cause They’ll Fuck You Anyway”, com a dose certa de putice diante do mundo e suas injustiças. Por fim o pequeno libelo existencial, “All I Have To Give The World Is Me”, a constatação de que somos o que somos e nada mais. E que se f…a.

 

Tegan And Sara merecem o seu amor e o seu afeto. Mergulhe no mundo de confissões, emoções e belezuras douradas feitas hoje. Se isso não restaurar parte da sua fé na crença de que há, sim, bom pop sendo feito hoje, talvez nada mais possa. Belo disco.

 

Ouça primeiro: “Hold My Breath Until I Die”

 

0

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

One thought on “Tegan And Sara – Hello, I’m Just Like You

  • 1 de outubro de 2019 em 16:17
    Permalink

    Apenas uma correção: T&S tem 20 anos de carreira. O primeiro disco oficial, lançado pela Vapor do Neil, é de 2000 😉

    0
    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *