Playlist – Dia da Consciência Negra

 

Vocês sabem por que o dia 20 de novembro é o Dia da Consciência Negra?

 

Foi uma iniciativa tomada em 2003, através da inclusão da data no calendário escolar, até ser admitida como feriado em mais de mil cidades do país, com a entrada em vigor da Lei 12519/11.

 

Foi no dia 20 de novembro de 1695 que Zumbi dos Palmares foi morto.

 

As primeiras lutas para que a data fosse celebrada surgiram ainda durante a ditadura militar. As manifestações pela lembrança da morte de Zumbi, feitas por artistas negros, foram confundidas pelo regime civil-militar como sendo referentes ao grupo guerrilheiro VAR-Palmares, gerando ataques da censura e da polícia federal.

 

Apesar disso, a data já era reconhecida em alguns estados brasileiros, especialmente Alagoas, que a celebra desde 1955. Lembrando que foi neste estado que se instalou o Quilombo dos Palmares, do qual Zumbi foi líder.

 

 

A música negra, sem dúvida, é o seu aspecto cultural mais popular. Acadêmicos como Paul Gilroy atribuem o envolvimento do negro escravizado com a música pelo fato de não ser necessária erudição para tocar instrumentos percussivos e permitir a adaptação de letras em idiomas originários. Tal fluência se constituiu em fases iniciais de estilos como blues, jazz, samba e jongo, surgidos no cativeiro e responsáveis por relatos importantes da vida de seus autores e intérpretes.

 

 

Celebrando este legado, fiz uma lista de 37 canções no Spotify, que representam o máximo possível a abrangência da cultura negra em sua riqueza e diferentes estilos. Espero que gostem.

 

 

0

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *