Não percam “Tribes Of Europa”

 

 

Alguém desconfia que a humanidade está bem perto de um colapso de grandes proporções? Em quantas situações recentes já demos provas de que a sociedade, as leis e tudo que nos ordena, na verdade, estão por um fio? Pois esta é a premissa de “Tribes Of Europa”, série alemã que está disponível na Netflix. Ela é produzida por Max Wiedemann e Quirin Berg, responsáveis por outra trama germânica de sucesso na plataforma de streaming: “Dark”. E dela também vem o ótimo ator Oliver Mascucci, que interpreta aqui o mercador Moses.

 

A ideia de “Tribes” é a seguinte: a Europa de 2074 não tem mais países, tem tribos. Toda a sociedade como existe hoje ruiu em 2029, após um misterioso apagão global, conhecido como Dezembro Sombrio, que acabou por minar as bases da sociedade tal como existia. A partir do caos e da desorientação que vieram em seguida, as antigas nações se fragmentaram em pequenas sociedades, culturalmente distintas, com objetivos e leis igualmente diferentes – algo muito possível dada a diversidade étnica encontrada na Europa e a recente saída do Reino Unido da União Europeia – e que passaram a buscar uma divisão geopolítica baseada na força, na esperteza e, claro, na falta absoluta de ética.

 

Neste mundo vamos encontrar três irmãos – Liv, Elja e Kiano. Eles são da tribo Orígenes, que optou por se isolar na floresta e viver o mais longe possível das disputas e da tecnologia. Num belo dia, os três estão voltando para a vila em que moram e veem uma nave cair do céu. Esta é a senha para que todo o seu futuro seja transformado, uma vez que tal fato vai desencadear uma série de eventos que culminarão com sua separação e o início de uma busca intensa por informações sobre a procedência daquela nave, sua tecnologia e o próprio futuro do continente e das pessoas.

 

No meio do caminho vamos conhecer algumas tribos, especialmente os Corvos e os Escarlates, que se enfrentam numa hostilidade permanente. Os primeiros são brutais e acreditam que os fracos não merecem perdão. Os outros parecem guardar um pouco dos ideais das sociedades pré-2029, lutando para estabelecer uma república e recuperar a glória perdida pela Europa. Só que todas essas bases sociais novas se mostrarão incrivelmente frágeis à medida em que os irmãos vivem os eventos que marcam a busca pelas informações decorrentes da queda da nave.

 

O clima da série, cuja primeira temporada tem seis episódios, extremamente viciantes, é de uma mistura de várias outras produções recentes. Tem toques de “Walking Dead”, “The 100” e filmes como “The Hunger Games” e até “Mad Max”, além de abordar o tema do “futuro distópico” de uma forma razoavelmente original, aproveitando para mostrar como é possível que, mesmo avançando no tempo, as sociedades podem, sim, regredir culturalmente.

 

É bom divertimento, indicado para fãs de ficção científica bem feita, bem executada e com roteiro interessante. Vão na fé.

 

Tribes Of Europa (Alemanha, 2021)

Elenco:

Henriette Confurius (Liv)
Emilio Sakraya (Kiano)
David Ali Rashed (Elja)
Melika Foroutan (Varvara)
Oliver Masucci (Moses)
Robert Finster (David)
Benjamin Sadler (Jakob)
Ana Ularu (Grieta)
Jeanette Hain (Amena)

 

 

+3

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *