Lançamento exclusivo: “Subcarioca”, por Homobono

 

 

A foto de uma paisagem prosaica de Jacarepaguá, bairro da Zona Oeste do Rio de Janeiro, acabou causando uma associação de ideias e uma composição musical um pouco inusitada.

 

Postados no perfil de Marco Homobono, músico e compositor carioca, guitarrista e vocalista dos Djangos, alguns comentários sugeriam que a tal foto quadrada seria a capa de algum disco. Xan Brás, produtor cultural do norte fluminense, foi mais longe, escrevendo que parecia ser a capa do “Supercarioca” do subúrbio. Ele fazia menção ao cultuado segundo álbum da banda Picassos Falsos, que fora lançado no fim da década de 1980.

 

Homobono retrucou perguntando se ele não se referia ao “SUBCARIOCA”. Pronto, o brainstorm espontâneo tinha dado um fruto. Afeito a provocações gráficas, Homobono perfilou o nome “SUBCARIOCA” em uma fonte do tipo eloquente no topo da foto seguido de seu pseudônimo. Postou em seu perfil no Facebook, inocentemente. Então, alguns comentários cobrariam agora pela música, que até então não existia.

 

Daí veio o ensejo que o compositor tanto esperava para escrever uma canção falando de sua cidade natal, o Rio de Janeiro, tão combalido por notícias de corrupção e violência, e a falta de expectativas econômicas que adviessem da canção. A estrutura modesta para apresentação da música independente na cidade e o fechamento de clubes e casas de shows, por conta da pandemia, ilustram bem essa espécie de limbo profissional no qual estão os artistas atualmente.

 

A poucos dias das eleições municipais de 2020, já no fim de um ano conturbado, “Subcarioca”, a canção, fica pronta.

 

Com a participação de Melvin Ribeiro, no baixo, Jomar Schrank, nos teclados e Rafael Lima, nos vocais, Homobono mixa vários cortes da realidade urbana do carioca, com a batida e melodias chupadas diretamente do funk (uma obsessão sua) e algo entre o afrobeat e dub, cristalizados nesse single ungido na espera e na dor.

 

 

SUBCARIOCA – ficha técnica

Homobono – voz, guitarras, beats e programações
Melvin Ribeiro – baixo
Jomar Schrank – teclado
Rafael Lima – vocais
Mixagem – Wlamir Rocha (Fusão Madô)

subcarioca

(Homobono)

a prefeitura abre as suas pernas
e a cidade não me abre mais os braços
esconde os dentes
não se manisfesta
os parasitas são felizes
e nos detestam

o governo abre as suas pernas
e o estado me diz oi largando o aço
não nos instrui
nem nos educa
tamo na mão de um monte mas cadê a luta?

ô, demorou para acordar
pra saber toda a verdade
alô, adjacências
atenção, comunidade
demorou para soltar
o grito da vitória
os livros  de história
um dia vão poder contar
vão poder contar
vão poder contar
vão poder contar
vão poder contar

novos xerifes vieram pra exigir
dinheiro de quem não tem pra onde ir
desobedece
vira fantasma
refugiados expulsos de suas casas

meu som é feito
forjado na zona oeste
reduto e recanto  dos cabra da peste
ungido na espera
ungido na dor
o inferno abençoado do trabalhador

ô, demorou para acordar
pra saber toda a verdade
alô, adjacências
atenção, comunidade
demorou para soltar
o grito da vitória
os livros  de história
um dia vão poder contar
vão poder contar
vão poder contar

ô, demorou para acordar
pra saber toda a verdade
alô, adjacências
atenção, comunidade
demorou para soltar
o grito da vitória
os livros  de história
um dia vão poder contar
os livros  de história
um dia vão poder contar
os livros  de história
um dia vão poder contar
os livros  de história
um dia vão poder contar

4+

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

One thought on “Lançamento exclusivo: “Subcarioca”, por Homobono

  • 14 de novembro de 2020 em 12:52
    Permalink

    Que texto maravilhoso.
    Parabéns, CEL!

    0
    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *