Gerson King Combo imorrível: ouça novo single

 

 

Dia 30 de novembro, mais conhecido como amanhã, é o 76º aniversário do sensacional e intergalático Gerson King Combo. Quem conhece o homem sabe que ele não para, fato que é demonstrado através do lançamento de um single ao vivo, como pontapé inicial da divulgação de seu novo trabalho, um DVD comemorativo, que deve sair em 2020.

 

Gerson Rodrigues Côrtes é irmão de Getúlio Côrtes, autor de hits da Jovem Guarda, e tem uma carreira marcante na música nacional, construída no peito, na raça e no talento. Agora Seu Gérson lança “Uma chance”, como o primeiro single do álbum “Gerson King Combo 70 anos”. Você deve estar pensando que erramos na idade do sujeito, né?

 

A gente explica. A gravação ao vivo, que fornece o material para o vindouro DVD, após outros singles ainda inéditos, foi feita há seis anos, mais precisamente em 28 de novembro de 2013, na véspera do 70º aniversário de Gerson. Nessa data, o James Brown brasileiro – assim eventualmente chamado pela adesão à velha escola do funk – se apresentou com a banda SuperGroove no Teatro Rival, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), em show captado sob direção do glorioso e internacional Pedro Serra. Carlos Dafé, Lady Zu e o mano Getúlio Côrtes foram os convidados do show orquestrado com produção musical dividida entre Heitor Nascimento e Ronaldo Groove Pereira.

 

A música escolhida para ser o primeiro single de Gerson King Combo 70 anos, em inédita gravação ao vivo, é “Uma chance” (Gerson King Combo, Ronaldo Correa e Pedrinho da Luz), que foi lançada originalmente pelo artista em álbum de 1977. Neste disco, intitulado Gerson King Combo, o cantor lançou a música Mandamentos black (Gerson King Combo, Pedrinho da Luz e Augusto Cesar), o maior sucesso de carreira fonográfica que perdeu impulso a partir dos anos 1980.

 

Há três anos tive o privilégio de entrevistar o Seu Gerson para a minha dissertação de mestrado em História Social na UFF, intitulada “Sou Negro e Tenho Orgulho – Política, Identidade e Música Negra no Black Rio”. Ele me recebeu em sua casa, situada no bairro de Madureira, perto do viaduto de mesmo nome, que sedia um icônico baile charme há vários anos. Conversamos por cerca de duas horas, ele me convidou para almoçar – e eu, respeitosamente, recusei. Dias antes, tinha visto ele no palco do Teatro da UFF, fazendo um show incandescente. Gerson é um pilar da música brasileira, simples assim.

 

1+

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *