Discos de rock no início do ano

 

 

Dois mil e vinte começou há quinze dias e a gente já tem quatro discos de bandas de rock alternativo em vias de lançamento. Primeiras audições em singles divulgados como amostras já dão conta de que são trabalhos bacanas e com potencial para dar uma sacudida na impressão de que o estilo vem se arrastando há tempos num mar de mesmice. Sendo assim, vamos dar uma geral nos próximos discos de Nada Surf, And You Know Us … By The Trail Of Dead, Real Estate e Tame Impala, todos com lançamento oficial marcado para os próximos trinta dias. Ah, também tem os novos trabalhos de Ozzy Osbourne e Pearl Jam saindo em fevereiro e março, ou seja, tem pra todos os gostos.

 

Nada Surf – a banda de Matthew Caws, Daniel Lorca, Ira Elliot e Louie Lino anunciou o lançamento de “Never Not Together”, seu décimo-primeiro álbum. Sempre um grupo assumidamente da segunda divisão do rock alternativo americano, o Nada Surf tem como maior trunfo a habilidade de Caws e Lorca na composição de canções grudentas e no bom senso do uso de guitarras fluidas e bem pensadas em seus arranjos. De vez em quando a banda crava um hit alternativo das mais altas esferas, caso, por exemplo, de “Popular”, canção que a catapultou em fins de 1998, “Inside Of Love, ou de coisas mais obscuras, como “Concrete Bed”, uma favorita pessoal deste que voz escreve. A banda já lançou um single adorável, “So Much Love”.

 

And You Know Us … By The Trail Of Dead – outra banda de segundo escalão, tão ou mais obscura que o Nada Surf, mas com fãs fiéis, inclusive por aqui. Foi no início dos anos 2000 que o segundo e terceiro discos dos sujeitos pintaram por aqui – “Madonna”, de 1999 e “Source Tags And Codes”, de 2003 – e arrebataram admiradores que se mantém até hoje. A graça dos texanos está na figura carismática do cérebro da banda, Conrad Keely, e na mistura de sonoridades alternativas com guitarras fluidas a explosões de barulho e peso, tudo sempre dosado com inteligência. Dois singles já surgiram: “Into The Godless Void” e a excelente “Don’t Look Down”. O novo trabalho chama-se “X: The Godless Void and Other Stories”.

 

 

Real Estate – a banda de New Jesey, especialista em construir climas que evocam uma versão sutil e suave do pós-punk guitarreiro inglês dos anos 1980, anunciou novo álbum para fevereiro, com o título de “The Main Thing”. Para antecipar a chegada deste quinto trabalho, o grupo lançou o single “Paper Cup”, no qual aponta para uma interessante mudança no estilo. Sai o clima contemplativo e tristonho dos trabalhos anteriores e entra em campo uma canção com mais groove, arranjo mais próximo do AOR ou do que costuma fazer Josh Rouse, com violinos, mas com algum elemento levíssimo de funk em algum ponto da canção. A audição do single aumentou muito a curiosidade para a chegada do novo trabalho.

 

Tame Impala – já falamos sobre o alter-ego musical de Kevin Parker e a expectativa pela chegada do novo álbum, “The Slow Rush”. Os cinco singles revelados até agora mostram que Parker segue firme em direção a uma sonoridade que pega muitos detalhes e informações do pop oitentista, mesclando-as à sua habitual musicalidade de origem psicodélica, no sentido Flaming Lips do termo. Os singles são legais e vêm sendo bem recebidos pelos fãs mais arejados do grupo, mas, assim como em relação às canções do disco anterior, “Currents”, os admiradores mais ferrenhos do Tame Impala vêm demonstrando alguma decepção. Vamos aguardar.

 

Ozzy e Pearl Jam – dois artistas mais veteranos e conectados com formas mais clássicas de rock, eles já anunciaram novos discos para breve. O ex-Black Sabbath vem com “Ordinary Man”, que conta com participações de Slash e Duff McKagan, ambos do Guns’n’Roses e de Chad Smith, baterista do Red Hot Chili Peppers. O novo álbum já tem três singles lançados, entre eles, a faixa-título, uma baladaça com participação e autoria de Elton John. Já o Pearl Jam anunciou o lançamento de “Gigaton”, seu décimo-primeiro disco de inéditas, com previsão para divulgação de singles em breve. A julgar pelos trabalhos anteriores e o próprio perfil do grupo de Eddie Vedder, o novo trabalho não deverá trazer mudanças significativas na sonoridade da banda, com as bênçãos dos fãs do grupo.

1+

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *