Bandas regravam Daniel Johnston em EP beneficente

 

 

 

O EP True Love traz 7 vezes a música “True Love Will Find You in the End” do disco “Retired Boxer”(1985) do norte-americano Daniel Johnston. O EP é uma mensagem de esperança em tempos de pandemia.

 

Com Gustavo Seabra e Rafael Genu da Pelvs, Marcelo Colares do Cigarettes, Clinio Carvalho (Pelvs e Snooze), Adriano Caiado da Moon Pics, Gerson Alves da Early Morning Sky e Alessandro Travassos do Valv, o EP traz uma versão onde todas as versões foram mixadas junto, da melhor maneira possível, e as versões “solo” de cada um dos participantes.

 

A ideia original e as gravações são de Março de 2020, quando Genu, morando com a família em Milão, na Itália, teve a ideia de gravar essa música para um vídeo. O atraso de mais de 5 meses é todo culpa nossa, midsummer madness. Além de pelejar para conseguir uma boa edição e um bom áudio conjunto, nós achamos que as versões individuais estavam tão boas que mereciam virar um EP.

 

Apesar do atraso, a mensagem de esperança da música permanece. Quando parte das pessoas começam a banalizar as mortes, nós achamos que é preciso alertar para o perigo ainda eminente que a pandemia representa. É necessário pensar no próximo, na vida em comunidade e tomar todos cuidados necessários para si e para os próximos.

 

Essa intenção se traduz também na decisão de transferir toda e qualquer renda gerada pelo streaming do EP para o Instituto GAS, que fornece apoio a pessoas em situação de rua na cidade de São Paulo. Estas pessoas talvez sejam as mais vulneráveis e toda ajuda a uma instituição que se dedica a esse cuidado é bastante importante.

 

Você pode ajudar comprando o EP digital no bandcamp, escutando-o no seu streaming favorito ou até ajudando diretamente o Grupo GAS: apoia.se/institutogas

 

 

0

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *