Aprenda Economia Com Stereolab

 

Recentemente entrevistei a cantora francesa Laetitia Sadier, vocalista do grupo Stereolab (leia aqui). Ainda é a primeira incursão da Célula Pop em entrevistas com artistas estrangeiros. Laetitia é uma baita cantora e uma pessoa extremamente consciente do momento que o mundo passa. Não adianta ignorar e “pensar” que não devemos misturar música e política ou emitir outro clichê alienante do tipo. Tudo é política, o que mostra que quem acha isso deveria procurar atualizar seus conhecimentos e definições sobre o assunto. Pois bem.

O grupo está relançando sete álbuns de sua carreira, todos com faixas-bônus e sobras de estúdio, além de remixes inéditos ou raros. É uma festa para quem, lá na primeira metade dos anos 1990, se deliciou com a sonoridade perpetrada pelo grupo, um pop com um pé em seu tempo e outro no passado, quando as pessoas costumavam projetar um futuro mais próspero do que se teve em 1994 e mesmo hoje. Parece complicado a princípio, mas, basicamente, Stereolab faz música homenageando um tempo de otimismo, no qual era possível pensar num futuro melhor. No fundo é bem simples.

Uma das canções-chave para entender essa visão – que é irônica – chama-se “Ping Pong”. Está no terceiro disco do grupo, “Mars Audiac Quintet”, que é uma das obras relançadas por agora. A canção fala da teoria do ciclo econômico. Sim, isso mesmo. A letra descreve a visão marxista do capitalismo, dizendo que a economia acontece em looping, com altos e baixos que são previstos, vivenciados e que, numa visão cruel por parte dos gestores econômicos, nos levariam a momentos de prosperidade. Então guerras, crises, fome, tudo seria previsto e contingenciado – mesmo desejado – pelo sistema como forma de levá-lo a momentos mais prósperos. Como o capitalismo, especialmente sua versão neoliberal, vigente desde o início dos anos 1990, é conhecida pelo aprofundamento da desigualdade, essa eventual prosperidade iria para o bolso dos mais ricos, com os mais pobres ficando … cada vez mais pobres.

Você pode não concordar, mas é o que vemos diante dos nossos olhos todos os dias.

Sendo assim, celebrando o relançamento dos dois primeiros discos desta leva de sete – “Transient Random-Noise Bursts With Announcements” e o próprio “Mars Audiac Quintet, achei uma boa ideia reavivar a letra de “Ping Pong” e colocá-la aqui, traduzida. Já fiz isso em sala de aula com ótimos resultados, acreditem.

Abaixo os versos em inglês e a tradução.

 

It’s alright ’cause the historical pattern has shown
How the economical cycle tends to revolve

Tá tudo bem, porque o modelo histórico nos mostra como o ciclo econômico tende a se repetir.

 

 

In a round of decades three stages stand out in a loop
A slump and war then peel back to square one and back for more

Num espaço de três décadas, três estádios se repetem. Uma depressão e uma guerra, que levam de volta ao início e então para adiante.

 

Bigger slump and bigger wars and a smaller recovery
Huger slump and greater wars and a shallower recovery

Maiores depressões e maiores guerrar e uma pequena recuperação. Enormes depressões e guerras ainda maiores para uma recuperação menor.

 

You see the recovery always comes ’round again
There’s nothing to worry for things will look after themselves
It’s alright recovery always comes ’round again
There’s nothing to worry if things can only get better

Vejam que a recuperação sempre acontece. Não há nada para se preocupar, as coisas se resolvem por elas mesmas. A recuperação sempre volta, não há nada pra se preocupar, porque, no final, as coisas ficarão melhores.

 

 

There’s only millions that lose their jobs and homes and sometimes accents
There’s only millions that die in their bloody wars, it’s alright
It’s only their lives and the lives of their next of kin that they are losing
It’s only their lives and the lives of their next of kin that they are losing

Teremos apenas alguns milhões que perderão empregos, casas e até seus sotaques.
Teremos alguns milhões que morrerão em guerras sangrentas, mas tudo bem.
São apenas suas vidas e as vidas de seus parentes que estão perdendo.
São apenas suas vidas e as vidas de seus parentes que estão perdendo.

 

 

It’s alright ’cause the historical pattern has shown
How the economical cycle tends to revolve

Tá tudo bem, porque o modelo histórico nos mostra como o ciclo econômico tende a se processar.

 

 

In a round of decades three stages stand out in a loop
A slump and war then peel back to square one and back for more

Num espaço de três décadas, três estádios se repetem. Uma depressão e uma guerra, que levam de volta ao início e então para adiante.

 

 

Bigger slump and bigger wars and a smaller recovery
Huger slump and greater wars and a shallower recovery

Maiores depressões e maiores guerrar e uma pequena recuperação. Enormes depressões e guerras ainda maiores para uma recuperação menor.

 

 

Don’t worry be happy things will get better naturally
Don’t worry shut up sit down go with it and be happy
Dumb, dumb, dumb, de dumb dumb, de duh de duh de dumb dumb dum… ah ah
Dumb, dumb, dumb, de dumb dumb, de duh de duh de dumb dumb dum… ah ah

Não se preocupe, fique feliz porque tudo se resolverá naturalmente.
Não se preocupe, cale-se, sente-se, aceite e seja feliz.

Burro. Burro. Burro. Burro. Burro. Burro. Burro. Burro. Burro.

 

 

+2

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *