Rush lança clipe para “Spirit Of The Radio”

 

 

“Permanent Waves” é o sétimo disco do Rush em estúdio. Foi lançado originalmente em janeiro de 1980 e significou o início de uma bem-vinda mutação sonora no trio canadense. Geddy Lee, Alex Lifeson e Neil Peart adentravam a nova década com antenas ligadas, captando a série interminável de novidades que vinham de todos os cantos. Punk, pós-punk, new wave, reggae, entre outros ritmos, haviam se transformado ao longo dos últimos anos e ofereciam possibilidades intermináveis. Tal fato não passou batido pelo trio canadense.

 

O novo álbum conseguiu captar exatamente o que é uma banda em mutação. Seu som ainda trazia elementos dos trabalhos anteriores mas já apontava para estas novas direções, que seriam tomadas especialmente em trabalhos sensacionais, como “Moving Pictures” (1981) e “Signals” (1982), mantendo o som da banda sintonizado com a modernidade da época, dando provas inequívocas de que o Rush era um grupo em movimento, que não pretendia ficar estagnado nos anos 1970. Tal fato deu origem a diferentes fases na carreira do trio, bem marcadas por conta deste compromisso com a evolução e a tradução dessas influências em novas fontes de inspiração.

 

Dentre as seis faixas de “Permanent Waves”, certamente o maior sucesso é “Spirit Of The Radio”, que mistura esta novíssima postura musical do Rush com uma belíssima homenagem ao poder do rádio no compromisso com o rock e sua difusão. A letra fala disso e a canção acaba de ganhar um clipe sensacional, feito para celebrar os quarenta anos de existência. Com a direção de David Calcano e Alberto Hadyar, as imagens mostram a banda com seu visual oitentista, em formato de HQ, interagindo com fãs e tocando ao vivo. Pequenos “easter eggs” surgem aqui e ali, enquanto as imagens vão mostrando radialistas famosos da época e animações sensacionais.

 

Ao final, uma homenagem bela e sincera ao baterista Neil Peart, falecido recentemente, uma das molas propulsoras da sonoridade do Rush. O clipe é um belíssimo presente da banda para seus fãs, um gesto de carinho e cumplicidade rock. Belezura.

 

Em tempo: a banda lançou uma versão turbinada do álbum, com direito a um CD extra com gravações ao vivo da época. Já está nos melhores serviços de streaming.

 

 

1+

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *