Djangos no projeto LabSonica Apresenta 

 

O show contará com músicas dos CDs Raiva Contra Oba Oba e Mundodifusão no Oi Futuro no dia 22 de novembro

Formada por Lyle Diniz (baixo), Jj Aquino (Bateria) e Marco Homobono (guitarra e voz), a banda Djangos fará uma apresentação especial dentro do projeto “LabSonica Apresenta”, no Oi Futuro, no dia 22 de novembro, às 19:30, com entrada gratuita (ingressos pela plataforma Sympla). O trio apresentará músicas dos CDs “Raiva Contra Oba Oba” (WEA), que faz 20 anos e foi produzido por Tom Capone e pelo Paralama João Barone, e “Mundodifusão” (independente), produzido por Marcelo Yuka. No palco, os músicos Salles Casagrande (trombone) e Thiago Garcia (trompete) estarão a postos complementando o estilo ska-punk-rock da banda. Músicas como “Roto Rooter”, ”Comando Ska”, “Eu não sei pogar”, “Operação São Jorge”, “Forrockers”, “Comportamento Geral” (uma versão para a música de Gonzaguinha), entre outras, estarão presentes no set list.

 

Sobre a banda

O encontro se deu na inóspita zona oeste do Rio de Janeiro. Três garotos que gostavam da dobradinha rock-reggae e de bandas tinham disposição para fazer misturas inusitadas na época. Jj Aquino, baterista, e Marco Homobono, microfone, guitarra e letras trouxeram suas influências mais evidentes para o repertório da banda que se iniciava como Corações e Mentes. O estilo veio por conta do que ouviam, propondo arranjos do estilo ska para músicas, com uma tônica punk-rock – uma mistura já feita pelas bandas The Clash e Mano Negra, duas das mais influentes no som da banda.

Isso coincidiu com a ocorrência de uma terceira onda do ska, em nível global, onde várias bandas que tocavam o ritmo jamaicano, em geral, combinado com a velocidade e a urgência do hardcore, frequentavam as paradas de sucesso nas rádios e na MTV. Já com a alcunha de Kamundjangos e com Carlyle Diniz no baixo, fizeram vários shows no underground como trio. O ska era uma das facetas mais presentes nas enérgicas apresentações daqueles três artistas suburbanos. Tiveram, nessa época, respaldo de público suficiente para serem convocados para a coletânea com bandas underground que foi lançada em 1996, pela EMI Odeon, a primeira experiência numa grande gravadora.

Logo depois veio o contrato com a WEA para a gravação do CD Raiva Contra Oba Oba. Tiveram a produção de João Barone, ídolo da banda, e o ganhador do Grammy, Tom Capone. Nasceria ali o disco “Raiva Contra Oba Oba”, com 14 faixas do estilo que eles mesmos batizaram como skaraggapunkrock, cristalizando um belo crossover de graves jamaicanos com a velocidade do punk e do hardcore. As gravações contaram com participações de Kamal Kassin (guitarra adicional em “Roto Rooter”), Eduardo Lyra (percussão), João Fera (teclados) e o trio de naipe de metais formado por Monteiro Júnior, Bidú Cordeiro e Demétrio Bezerra.

Anos depois se juntaram ao amigo de palco e de vida Marcleo Yuka, que recebeu o trio em seu estúdio Observatório de Ecos para produzir “Mundodifusão”, um trabalho mais conceitual da banda, onde experimentos foram somados ao estilo skapunkrock inicial.

 

Serviço

 

LabSonica apresenta : Djangos

Data: 22/11/19

Local: Lab Oi Futuro – Rua Dois de Dezembro, 107, 5º andar, Estúdio.

Horário de início: 19h30

Entrada Gratuita

Acesso: Inscrições gratuitas via link pela plataforma Sympla. A abertura das inscrições será às 10h do dia 20/11 e encerarão às 17h do dia 21/11.

Link aqui

1+

CEL

Carlos Eduardo Lima (CEL) é doutorando em História Social, jornalista especializado em cultura pop e editor-chefe da Célula Pop. Como crítico musical há mais de 20 anos, já trabalhou para o site Monkeybuzz e as revistas Rolling Stone Brasil e Rock Press. Acha que o mundo acabou no início dos anos 90, mas agora sabe que poucos e bons notaram. Ainda acredita que cacetadas da vida são essenciais para a produção da arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *